• YIV

    “Tinha um vaso ali, inclinado, um ângulo entre sua forma e o espaço. Matemática e poesia se encontram; reto, angular. Simples, singular. Era um I mas precisou se transformar em “Y” para apoiar quem mais precisava: uma flor”

     

    A Linha Yiv toma partido da Y, uma letra grega que entrou em nossa cultura latina, em nosso vocabulário, fórmula e elemento, já assim queremos incluí-la no design também. A linha tem como conceito a desconstrução de uma vogal, fazendo surgir o i e o v. Todos os objetos com linhas retas, ângulos, inclinações e essa estética rígida porém delicada. União de matemática, história e poesia. Composta por um vaso e um porta objetos, as peças foram confeccionadas pela marcenaria Oldine, a Laca preta presente na primeira remessa pode ser substituída por qualquer cor dependendo do projeto.

  • Acayu

    O fruto do cajueiro é chamado pelos indígenas de Acayu, que significa “ano” pois eles contam a idade de cada safra, pensando nas formas do fruto e em como ele é valorizado na cultura cuiabana no centro-oeste do Brasil, a Ohma cria a sua primeira linha, Acayu, inspirados nessa cultura pouco explorada porém tão rica e tão presente na vida e infância de dois integrantes do escritório, que são cuiabanos de “chapa-e-cruz” (como são chamadas popularmente as pessoas que nascem e são criadas em Cuiabá).

     

    Por entre as ruas de Cuiabá o fruto é pintado, nas roupas bordado, o cajueiro presente na maioria dos quintais, o sabor presente na culinária cuiabana. O caju não é apenas um fruto, mas faz parte dessa cultura, faz parte das raízes da cidade e também da história da Ohma. Fabricado de forma artesanal pelos próprios integrantes da Ohma em parceria com o designer Bruno Camargo e com a marcenaria Oldine, as peças são revestidas com lâmina natural remetendo ao próprio caule do Cajueiro em tons amarelados e avermelhados remetendo as cores presentes no pedúnculo piriforme, as formas orgânicas são moldadas uma por uma fazendo com que cada peça seja única.

     

    O branco está presente na estrutura do vaso e no contorno do espelho assim como o tom presente dentro da fruta. Os espelhos são em duas formas diferentes, uma inspirada no próprio fruto (castanha do caju) e outra no seu pedúnculo piriforme. Ambos podem ser fixados na parede em diversas formas, trazendo flexibilidade e adaptação ao projeto.